Ao Vento, O Corvo

Longe de nossas previsões, feitos inesperados nascem e são lançados ao vento. São surpreendentes, simplesmente aparecem e encantam com sua possibilidade de ir alto, bem alto. Assim, somos, com frequência, postos frente ao incrível sem entender de onde ele vem. Como pássaros, no entanto, as conquistas mais bem-sucedidas nascem com muito zelo, com uma dose de carinho e, sobretudo, com extremo esforço. Queremos falar de uma vitória do Colégio de São Bento, que surge do ninho para fascinar os beneditinos.

 Quando, há um ano, resolvemos criar um jornal para o Colégio, a ideia ainda era muito embrionária. Não havia nome, formato, suporte institucional e sequer havia pessoas dispostas a trabalhar nessa empreitada. Não obstante, o período de incubação foi um verdadeiro presente para nós, encarregados de levar à frente o projeto, crentes da sua grandiosidade. Recebemos, sem reservas, um profundo apoio da Pastoral e da Equipe de Língua Portuguesa. A partir daí, resolvemos criar o nosso tão falado processo seletivo e apuramos em duas etapas os nossos editores. Esses estarão incumbidos da missão de compor a primeira equipe do jornal, são os corajosos a voar de início nesse vento cada vez mais forte e tangível.

” E o nosso corvo? Ele será vontade e crença, será beneditino. ”

 Discutida, analisada, corrigida, feita, refeita e aprimorada, a proposta tomou corpo, até chegar ao modelo que lançamos nesta edição: O Corvo. Aquele pássaro negro do poema de Allan Poe? “Nevermore”? Quase isso. O nome de nosso jornal é uma singela homenagem, alusão à passagem da história de São Bento, em que a ave salva o Santo, levando para longe um pedaço de pão envenenado. O Corvo também é o mensageiro, figura imponente em diversas mitologias, representando a sabedoria, a poesia e a magia. E o nosso corvo? Ele será vontade e crença, será beneditino.

” Resgataremos, portanto, nesta humilde produção de nossos alunos, o caráter da Instituição, focada no ser humano e no desenvolvimento integral das suas habilidades linguísticas.”

Passados os desafios iniciais, percalços de uma verdadeira epopeia, restava-nos definir os moldes de nossa obra. Afinal, tivemos experiências antigas de jornais no São Bento, cada um à sua maneira. Porém, não estamos falando do famigerado Leão – referência para nós em diversos aspectos – ou de qualquer outra tentativa, reconhecida ou não por nossa instituição. Queremos revolucionar a produção dos alunos na escola. Falamos d’O Corvo, do espaço criado com os nossos dezoito aprovados, do portal online associado ao site do Colégio, da página em que você, da Comunidade Beneditina, vai ler e comentar comigo, também da Casa, sobre as notícias e textos mensais. Com direito às pérolas do Henricão e às verdadeiras batalhas travadas no futebol do rala-coco. Vale lembrança da tia Cláudia Bello e medo da prova do Alfredo – partilhado por aquele que escreve. Teremos o fantástico feito de um espaço nosso, à nossa feição.

Desde muito, percebemos que não formulávamos um periódico corriqueiro. A começar pela tradição ímpar na Língua Portuguesa, que o inefável Dom Lourenço de Almeida Prado, com toda a sua prudência e erudição, já apontava como matéria mais importante do Colégio de São Bento. A distinção dos alunos beneditinos é esta: a escrita. O jornal do Grêmio, nosso jornal, não haveria de ser diferente. Nele, queremos exaltar o brilhantismo do pensamento, a crença de que escrever não é reproduzir. Resgataremos, portanto, nesta humilde produção de nossos alunos, o caráter da Instituição, focada no ser humano e no desenvolvimento integral das suas habilidades linguísticas. Queremos dizer ao Rio, ao Brasil, que ainda há como escrever com vontade e com o coração, pois bem escrito é o texto que sai da mente com confiança e sentimento, para encantar os olhos leitores. As costuras tornam-se encantadoras quando imprimimos, a um tempo, a técnica e a inspiração e, assim, retalhamos e entrecruzamos as ideias para maravilhar quem nos rodeia.

” Um marco na história da Colina, lançados ao vento como corvos, com vontade e com crença, de modo a realizar tudo aquilo em que acreditamos desde o início. “

 O feito inesperado sobrevém diante de nós. Traremos com muita vontade o trabalho de nossas colunas – Ala Literária, Artigo de Opinião, Crítica Cultural, Coluna Esportiva, Curiosidades Acadêmicas e Entrevista. Nesta edição, o Corvo porá em prática toda liberdade e confiança de que dispõe. A primeira edição foi produzida integralmente pelo Grêmio Estudantil, um orgulho sem igual para todos nós. Vocês encontrarão a beleza da opinião do presidente Pedro Burlini, quebrarão a cabeça com a matemática dos mundurucu e verão emoção em um texto forte sobre favela. Conteúdo bom, feito com zelo, carinho e esforço. O Corvo vem aí! Seremos nós, beneditinos, de corpo e alma e teclado, a escrever para nós, trazendo nossa identidade. Um marco na história da Colina, lançados ao vento como corvos, com vontade e com crença, de modo a realizar tudo aquilo em que acreditamos desde o início.

Leonardo Frazão
Vice-presidente do GESB 2019
T:232